Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Yes We Can(ada)

Yes We Can(ada)

Portugal, number one!

Desta a vez a história não começou no Canadá… para nós começou há 20 anos. Europeu de Inglaterra, em 1996. Era a primeira vez que víamos a nossa seleção de futebol numa fase final de uma grande competição. A “geração de ouro” conseguiu a proeza de nos incluir no mapa futebolístico, desta vez a caderneta de cromos incluía o Vítor Baía, o Fernando Couto, o João Pinto… O resto da história já sabem, a chapelada do Poborski, a mão do Abel Xavier, as lágrimas de um jovem promissor chamado Cristiano, a saída atrapalhada do Felipão, a bola que não entrou nas penalidades contra a Espanha.

Mas eis que surgiu a oportunidade de reescrever esta história. E aqui tudo foi um desafio à lei das probabilidades… como poderíamos adivinhar as cenas deste filme? As prematuras lágrimas do Ronaldo, o herói improvável, até uns instantes antes, o patinho feio da seleção. E em relação a nós, como poderíamos imaginar que o cenário onde iriamos assistir a tudo isto seria uma cidade chamada London, não a que sonhamos tantas vezes voltar, mas sim uma pequena cidade na província de Ontário, Canadá.

received_1093989783990321.jpeg

 

Decidimos ver o jogo num restaurante chamado Jack Astor’s, típico restaurante americano. Mais um dos muitos “Hard Rock” cafés, mas daqueles sem as guitarras ou os carros pendurados no teto. Estavam já alguns portugueses à espera do jogo, aos quais se juntaram muitos outros até à hora do apito inicial.

received_1036477363072915.jpegreceived_1093990567323576.jpeg

 

 

No final do jogo, a emoção era geral, mesmo naqueles que a única palavra que diziam em português era “Portugal” e com a acentuação típica inglesa no “O”….” Portugal Number One” entoavam agitando as nossas cores através dos seus adereços: cachecóis, camisolas, bandeiras. Mas a maior surpresa estava reservada para o final, quando saímos do restaurante e nos deparamos com um cenário de festa, que já ocupava toda a Richmond St, uma das principais artérias da cidade. Decidimos juntar-nos à festa que entrou, neste caso, pela tarde dentro. Não podia ser de outra forma… não é todos os dias que se reescreve a história, não é todos os dias que se presencia esse capitulo num cenário tão confortavelmente distante… Portugal é campeão ou como se diz por aqui, “Portugal Number one!”